Siga-nos

Perfil

Expresso

Caso BPN

BPN: Arguidos não querem prestar declarações na primeira fase

Nenhum dos 16 arguidos do processo BPN quis prestar declarações na primeira fase do julgamento, incluindo o representante da empresa Labicer.Clique para visitar o dossiê Caso BPN

Isabel Vicente (www.expresso.pt)

12h12 - O julgamento tem sessões agendadas para  19, 20, 24 e 25 de janeiro; 9, 10, 23 e 24 de fevereiro; 10, 16 e 17 de março. A partir dessa data serão intensificadas as sessões, podendo acontecer noutro sítio.   

12h01 - O juiz perguntou se os advogados prescindem da leitura da acusação pelo tribunal de instrução criminal ao que os advogados responderam afirmativamente, falando-se agora do agendamento de novas sessões de julgamento.

Clique para aceder ao índice do DOSSIÊ CASO BPN

O julgamento terá 8 a 10 sessões até março. Depois serão intensificadas as sessões, uma vez que o coletivo de juizes tem outro julgamento em curso. 

11h57 - Os advogados de vários arguidos, como José Monteverde, Ricardo Oliveira, Luís Caprichoso, Isabel Cardoso, Leonel Mateus e Luís Almeida também pediram a palavra para dizer que esperam que se faça justiça e que se demonstre que estão a julgar factos cuja acusação é imperceptível e sem fundamento.

Paulo Farinha Alves, advogado destes últimos quatro arguidos, disse também que é essencial a inocência dos arguidos que representa para eliminar erros básicos que constam da acusação.  

11h33 - No âmbito das exposições introdutórias, Rogério Alves, advogado de José Vaz Mascarenhas, ex-presidente do Banco Insular, pediu a palavra para dizer que o arguido agora reformado não vai por agora prestar declarações, mas irá fazê-lo no final do julgamento. O advogado diz que vai contestar e provar a inocência de Vaz Mascarenhas, acusado dos crimes de abuso de confiança, burla qualificada e falsificação de documento. 

11h25 - Nenhum dos arguidos quer prestar declarações na primeira fase do julgamento, incluindo o representante da empresa Labicer. 

11h12 -  O julgamento dos 16 arguidos do processo BPN devia ter começado às 09h30, mas atrasou-se por decisão do juiz Luís Ribeiro que chamou os advogados e o Ministério Público para conferenciar. A primeira sessão do julgamento de Oliveira e Costa e dos outros 15 arguidos servirá para identificação dos arguidos e agendamento das sessões seguintes. 

11h00 - Julgamento começa com a identificação dos arguidos  

09h51 - O advogado Rogério Alves, que participa no processo do BPN, disse  à chegada ao Campus da Justiça que o elevado número de arguidos neste caso deverá levar a um julgamento demorado

09h20 - O ex-presidente do BPN Oliveira e Costa chegou hoje pelas 09h20 ao Campus da Justiça onde começa a ser julgado por crimes de abuso de confiança, burla qualificada, falsificação de documentos, branqueamento de capitais, entre outros. José Oliveira e Costa chegou acompanhado do seu advogado, Leonel Gaspar, e não quis prestar declarações aos jornalistas.