Siga-nos

Perfil

Expresso

Eleições na Alemanha

Alemanha: Partidos encerram hoje a campanha

Ao contrário do aconteceu em anos anteriores, os partidos alemães terminaram hoje a campanha para as legislativas de amanhã. Clique para visitar o dossiê Eleições na Alemanha.

Os partidos alemães representados no Parlamento terminaram hoje a campanha para as legislativas de amanhã, ao contrário do que aconteceu nas eleições anteriores, em que encerraram as actividades de apelo ao voto na sexta-feira.

Clique para aceder ao índice do DOSSIÊ ELEIÇÕES NA ALEMANHA Após o regresso da cimeira do G20 de Pittsburgh (EUA), a chanceler Angela Merkel presidiu hoje ao comício de encerramento da campanha dos democratas-cristãos (CDU/CSU), em Berlim. O seu rival directo, o social-democrata Frank-Walter Steinmeier, preferiu fazer o comício de encerramento, também na capital, na sexta-feira e hoje tinha ainda actividades de campanha em Dresden (Saxónia) e Detmold (Renânia). Democratas-cristãos e Liberais (FDP) anunciaram que pretendem formar uma aliança de governo se conquistarem a maioria absoluta dos mandatos parlamentares no domingo. Simultaneamente, o FDP rejeitou uma aliança com o SPD e os Verdes, caso o centro-direita falhe o projecto de vencer em conjunto as eleições. Dirigentes do SPD continuavam a afirmar, no entanto, que o FDP e o presidente Guido Wersterwelle vão mudar de ideias, "em nome do interesse nacional", se não conseguirem concretizar a aliança com Angela Merkel. No programa eleitoral, os sociais-democratas excluíram alianças com os neocomunistas do Die Linke (A Esquerda) e só aliados aos Verdes dificilmente terão maioria absoluta, a acreditar nas sondagens.

Verdes excluem coligação

Os Verdes, por seu turno, excluíram uma coligação com democratas-cristãos e liberais, que também é recusada por um dos partidos do bloco democrata-cristão, a CSU da Baviera. Em Munique, as preferências parecem mesmo ir para o prosseguimento da grande coligação entre democratas-cristãos e sociais-democratas, até porque os conservadores bávaros têm muitas diferenças programáticas em relação ao FDP. A direcção dos sociais-democratas, por sua vez, não exclui este cenário, caso Steinmeier não conseguir levar o partido à vitória e ser chanceler, o que de acordo com as sondagens é uma hipótese praticamente afastada. A última sondagem do Instituto Forsa, publicada ontem, dava um empate técnico entre o centro-direita e o conjunto dos três partidos de esquerda. A CDU/CSU averbou neste inquérito de opinião 33 por cento das intenções de voto, registando uma tendência para descer. Os Liberais mantinham-se nos 14 por cento. Em conjunto, os partidos mais à direita do espectro parlamentar somavam assim 47 por cento. Quanto ao SPD, estava de novo em regressão, caindo para os 25 por cento, enquanto o Die Linke garantia 12 por cento, e os Verdes 10 por cento, o que totalizava 47 por cento para a área da esquerda.